De acordo com balanço da AER44, os números superaram as estimativas iniciais. Nos três últimos meses de 2017 foram cerca de 3,6 milhões de visitantes, um aumento de superior a 60% na comparação com o mesmo período do ano anterior

O movimento de fim de ano levou cerca de 3,6 milhões de pessoas à Região da 44 entre os meses de outubro e dezembro do ano passado. O dado consta de um balanço feito pela Associação Empresarial da Região da 44 (AER44) sobre a movimentação nos últimos três meses de 2017. Só em dezembro foram mais de 1,6 milhão de pessoas que passaram polo comercial.

“Tínhamos uma estimativa de receber cerca de 1,2 milhão de turistas de compras em dezembro, mas os números superaram nossas expectativas e demonstram que a Região da 44 segue pujante, mesmo sem ao apoio poder público e num momento ainda complicado da economia brasileira”, afirma o presidente da AER44, Jairo Gomes.

O aumento na movimentação do mês de dezembro em relação ao mesmo período de 2016 foi de quase 60% (59,14%), já em referência aos três últimos meses do ano, quando o fluxo de compradores é mais intenso na região, o acréscimo foi de 61%.

Segundo Jairo Gomes, passado o período das festas de fim de ano, a movimentação na Região da 44 no começo do ano fica por conta do atacarejo, que são os compradores que levam um maior número de peças, porém para uso próprio; e as compras no atacado de peças de moda praia, que se intensificam nessa época. “Já depois do Natal, começa-se a ter uma procura muito grande por artigos de moda praia. Há muitos atacadistas que buscam fazer estoque para o período de férias e o carnaval”, explica o presidente da AER44.

Ainda melhor

Fernando Faustino de Miranda é um dos cerca de 12 mil lojistas da Região da 44 que está comemorando o aumento nas vendas de fim de ano. “O movimento no ano retrasado, quando a crise [econômica] era mais grave , já foi bem bacana se a gente for comparar a outros setores e polos de comércio, e este ano foi ainda melhor. Tivemos um aumento de 15% a 20% em relação às vendas dos dois últimos meses de 2016”, revela o lojista.

Fernando conta que tem percebido um aumento nos últimos anos das vendas na modalidade de atacarejo. “Neste período de férias, tradicionalmente, tem muita gente que vem do interior e compra roupa para toda a família e para o ano todo. Mas isso tem ocorrido com compradores da Grande Goiânia, isso porque hoje temos muitas opções, roupas de muita qualidade em com preço muito bom. Então tem muita gente que vem comprar em grupo para aproveitar esses preços”, explica o Lojista.

Mudança

Larissa Moura, dona de uma loja de moda feminina na região, também comemora a boa movimentação no fim de ano e disse que se surpreendeu. “Tivemos um aumento de 15% a 20% em relação a dezembro de 2016”, diz. A lojista afirma que o movimento maior de compradores atacadistas se intensificou mais em novembro e se estendeu até a última semana de dezembro, quando o movimento maior, tradicionalmente, é do varejo. “Até a última semana do ano eu estava recebendo cliente de atacado, por isso quem estava com estoque não perdeu venda”, declara.

A microempresária avalia que essa mudança seja um efeito da desconfiança que ainda há em relação à economia do País. Porém, ela também observa que o comprador de atacado está vindo mais vezes à região da 44. “Tenho percebido que esses compradores do atacado estão preferindo fazer um estoque menor, porém vêm mais vezes, pois a medida que eles vendem voltam para fazer um novo estoque”, conta a lojista.

Balanço de fim de ano da Região da 44

Dez/ 2017 – 1.629.081

Dez/ 2016 – 1.023.646

(Aumento de 59,14%)

Out. a dez/2017 – 3.673.978

Out. a dez/2016 – 2.280.731

(Aumento de 61%)