Projeto completa dez anos e terá representantes de várias partes do Brasil e uma trupe argentina. Serão quatro dias de programação, de 11 a 14 de janeiro, com alguns espetáculos gratuitos

As cortinas se abrem e uma luz se acende novamente no meio do picadeiro. O Festival Palhaçada estende a lona para comemorar dez anos em 2018 e terá programação especial em quatro dias de evento, de 11 a 14 de janeiro, com apresentações no Centro Cultural da UFG (Universidade Federal de Goiás) e na Escola de Circo Dom Fernando, parceira antiga dos organizadores. Sapatos grandes, roupas coloridas e narizes vermelhos de oito grupos selecionados através de um edital de concorrência vão dar vida à emoção e orgulho dos criadores Murilo Garcez e Denise Carrijo.

Serão 11 apresentações, incluindo alguns espetáculos gratuitos. Artistas de Goiás, Alagoas, Rio de Janeiro, Pará, Minas Gerais e uma atração internacional vinda da Argentina compõem a programação selecionada cuidadosamente para arrancar sorrisos de toda a família, visando aproveitar o momento de férias. “A expectativa é valorizar ainda mais a linguagem circense e valorizar o palhaço que é um ser mítico, uma figura que existe em praticamente em todas as culturas do mundo”, avalia Denise.

Com o time cuidadosamente selecionado, o festival tem uma programação digna da história que representa e promete emocionar. “Nossa expectativa é manter a média de público que sempre foi muito boa e continuar trabalhando de maneira coesa e correta, valorizando o respeito que temos diante dos grupos de todo o Brasil. Quisemos retomar um pouco dos grupos desses amigos que formamos durante dez anos de história fazendo festival. Sempre conseguimos manter laços com os grupos que passam por aqui e isso para nós é muito mais importante do que fazer um evento que tenha 20, 30 apresentações. É um evento pequeno, mas que a gente consegue cuidar dos grupos que estão presentes e fazemos questão que eles se sintam especiais”, afirma Murilo.

Na programação está o poderoso espetáculo argentino “AlfonsinA”, do grupo Espuma Bruma, que usa a corda bamba e a literatura das brilhantes Alfonsina Storni, poetisa argentina, e Virginia Woolf, escritora inglesa, para atirar-se ao delicado equilíbrio que é viver. Seguindo em frente, produções como “Magia” e “O Circo do Mixuruca” – ambas realizadas pelos alagoanos da Turma do Biribinha -, tratam com bom humor das dificuldades cotidianas que são capazes até mesmo de fazer com que a vida quase literalmente perca a cor, mas o palhaço tratará de demonstrar a forma para reverter o quadro com sua habilidade natural de rir de si mesmo.

Arte que o próprio Biribinha vem fazendo há impressionantes seis décadas. Sendo o Palhaçada fruto do desejo de reforçar o poder da arte circense, a programação trata de fechar o ciclo de apresentações de 2018 justamente com o emocionante “Reencontro de Palhaços”, protagonizado pelo experiente líder da trupe alagoana, um dos símbolos dessa edição do festival.

Mas para chegar até o icônico encerramento será necessário passar ainda por outros vários trabalhos repletos de histórias como é o caso do espetáculo “O Dia da Caça”, do grupo Las Cabaças. Hoje representando o estado do Pará, a trupe foi formada por atrizes que fizeram parte do elenco paulista dos Doutores da Alegria que resolveram pegar a estrada e, parando de cidade em cidade para fazer apresentações, levantar fundos para custear a viagem até o destino final na cidade paraense de Alter do Chão. Provando que o que não falta é quilometragem para cada um dos grupos, fazem parte do cronograma as pioneiras da palhaçaria feminina do As Marias da Graça e o renomado Teatro de Anônimo, que traz seu primeiro trabalho, “Roda Saia Gira Vida”, para a edição 2018 do festival.

Com quase 30 anos dedicados à investigação da linguagem do palhaço no Brasil, os grupos dividem espaço ainda com os goianos da Família Santos Santiago – com o interativo “O Domador de Animais” – e o palhaço Saracura do Brejo – com “Bamboléro” – e a mineira Janaína Morse – com “Brisa’s Beach”, para completar um cronograma de atrações que prometem divertir e emocionar adultos e crianças, deixando marcada na memória dos goianos o poder da palhaçaria.

Programação

Dia 11 de janeiro

15h – Escola de Circo Dom Fernando | Turma do Biribinha – Espetáculo: Magia (gratuito)

20h – Centro Cultural UFG | Teatro de Anônimo – Espetáculo: Roda Saia Gira Vida

Dia 12 de janeiro

9h – Circo Lahetô | Aula-Espetáculo com o palhaço Biribinha (gratuito)

15h – Escola de Circo Dom Fernando | Janaina Morse – Espetáculo: Brisa’s Beach (gratuito)

20h – Centro Cultural UFG | Espuma Bruma – Espetáculo: Alfonsina

Dia 13 de janeiro

15h – Escola de Circo Dom Fernando | Família Santos Santiago – Espetáculo: O Domador de Animais (gratuito)

17h – Centro Cultural UFG | Turma do Birinha – Espetáculo: O Circo do Palhaço Mixuruca

20h – Centro Cultural UFG | Las Cabaças – Espetáculo: O Dia da Caça

14 de janeiro

11h – Feira do Cerrado | Saracura do Brejo – Espetáculo: Bambolêro

15h – Escola de Circo Dom Fernando | Las Cabaças – Espetáculo: Semi Breve (gratuito)

17h – Centro Cultural UFG | As Marias da Graça – Espetáculo: Tem Areia no Maiô

20h – Centro Cultural UFG | Turma do Biribinha – Espetáculo: O Reencontro dos Palhaços na Rua é a Alegria do Sol com a Lua

Serviço

O quê: Festival Palhaçada 2018

Quando: 11 a 14 de janeiro

Quanto: R$ 20 inteira R$ 10 meia – Crianças até 12 anos pagam meia e adultos acompanhantes também

Onde: Centro Cultural da UFG e Escola de Circo Dom Fernando

*** Na foto: Teatro de Anônimo RJ